Búsqueda avanzada de temas en el foro

Resultados 1 al 4 de 4
Honores3Víctor
  • 2 Mensaje de Hyeronimus
  • 1 Mensaje de

Tema: Si Brasil fuera una monarquía...

  1. #1
    Avatar de Hyeronimus
    Hyeronimus está desconectado Miembro Respetado
    Fecha de ingreso
    16 ene, 07
    Mensajes
    18,144
    Post Thanks / Like

    Si Brasil fuera una monarquía...

    Aimberê y DOBLE AGUILA dieron el Víctor.

  2. #2
    Aimberê está en línea Miembro graduado
    Fecha de ingreso
    12 feb, 12
    Ubicación
    Brasil
    Mensajes
    39
    Post Thanks / Like

    Re: Si Brasil fuera una monarquía...

    Pedro I e Pedro II foram grandes governantes, de alta capacidade e excelente formação. Em uma América espanhola republicana marcada por fortíssima instabilidade política, eles souberam administrar o país durante longo período (1822 a 1889) de maneira que houvesse estabilidade. O México, por exemplo, foi invadido não só pelos americanos, mas pelos franceses também. A Argentina teve que lidar com ingleses e franceses. O Brasil, com ninguém. A navegação do Amazonas foi mantida fechada, e sob controle. O Brasil se manteve unido. Mais, eram governantes com formação cultural extraordinária. O Pedro I, ele próprio, compôs o hino do Império, hoje hino da independência (ele tinha múltiplos talentos!). O Pedro II tinha excelente formação. Em uma visita à Síria, em uma sinagoga, ele leu hebraico tão bem que os judeus ficaram espantados! Duvido que algum governante, em todas as Américas, desde a independência de seus países, tenha tido a bagagem cultural desses dois. Falam de Lincoln e outros americanos, mas eles não chegam nem perto, na minha opinião.

    O Pedro I, dentre outros talentos, era um grande compositor também (elogiado inclusive por Rossini!). O hino do Império do Brasil foi composto por ele (hoje é nosso hino da independência):

    Última edición por Aimberê; 08/09/2016 a las 15:10
    Hyeronimus dio el Víctor.

  3. #3
    Bordaberry está desconectado Miembro novel
    Fecha de ingreso
    30 sep, 16
    Mensajes
    3
    Post Thanks / Like

    Re: Si Brasil fuera una monarquía...

    Yo estoy convencido de que si hoy día Brasil es un país medianamente estable y emergente, con la capacidad de poder hacer frente a Estados Unidos es gracias al modelo imperial que adoptó en sus primeros años de independencia, con el que tuvo una buena base. Con él se evitaron balcanizaciones como las que hubo en México o en Gran Colombia, además de mantener la paz y el orden dentro de la nación, evitando separatismos y guerras civiles (las pocas que hubo en los primeros años del Imperio fueron bastante menores y Uruguay fue más bien una excepción).

    Tan positivo fue el legado de Pedro II que hasta los republicanos brasileños lo ven como un gobernante justo, sabio e ilustrado. Cuando el Gobierno lo rehabilitó en 1921 y lo enterró con honores miles y miles de brasileños salieron a despedirlo.

    Como curiosidad, en 1992 se hizo un referéndum en Brasil donde se pudo elegir entre un modelo republicano o uno monárquico, algo bastante extraño y unico en la historia, creo que solo Albania hizo algo similar un par de años después.

    Pese a que el modelo republicano ganó por un alto porcentaje (86% contra 13%), los votos monárquicos rondaron los seis millones, nada despreciable. Si a eso pudieramos sumar los votos nulos (8 millones), los votos en blanco (7 millones) y los votos en abstensión (23 millones), el voto republicano se reduciría al 66%. Si se hubiese formado un partido monarquico a lo mejor podría haber absorbido ese 13% de votos para el Parlamento. Un 13% de votos en unas parlamentarias es BASTANTE, para hacerse una idea, un 13% es lo que sacó el Partido de los Trabajadores de Dilma Rouseff dentro de su coalición.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Brazil...ferendum,_1993

    Estoy seguro que si ese referéndum lo hubiesen hecho en los años anteriores al trágico golpe de Deodoro da Fonseca, los monárquicos habrían sacado, no sé, puede que un 140% xD

    Un saludo y que viva Dom Pedro!!

  4. #4
    Aimberê está en línea Miembro graduado
    Fecha de ingreso
    12 feb, 12
    Ubicación
    Brasil
    Mensajes
    39
    Post Thanks / Like

    Re: Si Brasil fuera una monarquía...

    Libros antiguos y de colección en IberLibro
    A respeito de Pedro II (Pedro I era notável também, embora temperamental e impulsivo, tinha notáveis talentos, sendo compositor de música clássica, reconhecido inclusive por Rossini, exímio atirador, e excelente carpinteiro, dentre vários outros atributos):

    "Nasci para consagrar-me às letras e às ciências ", o imperador comentou em seu diário pessoal em 1862.[151][152] Ele sempre teve prazer em ler e encontrou nos livros um refúgio para a sua posição.[153][154] Sua habilidade para relembrar trechos que havia lido no passado era notável.[155][156] Os interesses de Pedro II eram diversos, e incluíam antropologia, geografia, geologia, medicina, Direito, estudos religiosos, filosofia, pintura, escultura, teatro, música, química, poesia e tecnologia.[157][158] No final de seu reinado, havia três livrarias em São Cristóvão contendo mais de 60.000 livros.[159] Sua paixão por linguística o levou por toda a vida a estudar novas línguas, e ele era capaz de falar e escrever não somente em português, mas também em latim, francês, alemão, inglês, italiano, espanhol, grego, árabe, hebraico, sânscrito, chinês, provençal e tupi.[160][161][162][163][164] Tornou-se o primeiro brasileiro fotógrafo quando adquiriu uma câmera de daguerreótipo em março de 1840.[165][166] Criou um laboratório fotográfico em São Cristóvão e outro de química e física. Ele também construiu um observatório astronômico no paço.[155]

    A erudição do imperador surpreendeu Friedrich Nietzsche quando ambos se conheceram.[126][167][168] Victor Hugo falou dele: "Senhor, és um grande cidadão, és o neto de Marco Aurélio",[169][170] e Alexandre Herculano o chamou de um "príncipe cuja opinião geral o considera como o primeiro de sua era graças à sua mente dotada, e devido à sua constante aplicação desse dom para as ciências e cultura."[151] Tornou-se membro da Royal Society,[171] da Academia de Ciências da Rússia,[172] das Reais Academias de Ciências e Artes da Bélgica[173] e da Sociedade Geográfica Americana.[174] Em 1875 foi eleito membro da Académie des Sciences francesa, uma honra dada anteriormente a somente dois outros chefes de estado: Pedro, o Grande e Napoleão Bonaparte.[170][175] Pedro II trocou cartas com cientistas, filósofos, músicos e outros intelectuais. Muitos de seus correspondentes se tornaram seus amigos, incluindo Richard Wagner,[176] Louis Pasteur,[177] Louis Agassiz, John Greenleaf Whittier, Michel Eugène Chevreul, Alexander Graham Bell,[178] Henry Wadsworth Longfellow,[179] Arthur de Gobineau,[180] Frédéric Mistral,[181] Alessandro Manzoni,[182] Alexandre Herculano,[183] Camilo Castelo Branco[184] e James Cooley Fletcher.[185]


    Pedro II cedo percebeu que tinha a oportunidade para utilizar seu conhecimento que havia acumulado em uso prático para o benefício do Brasil.[186] O imperador considerava a educação como de importância nacional e era ele mesmo um exemplo do valor do aprendizado.[187] Ele comentou: "Se não fosse imperador, gostaria de ser um professor. Não conheço tarefa mais nobre do que direcionar as jovens mentes e preparar os homens de amanhã."[188] A educação também colaborou no seu objetivo de criar um sentimento de identidade nacional brasileira.[189] Seu reino viu a criação do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro para promover pesquisa e preservação nas ciências históricas, geográficas, culturais e sociais.[189] A Imperial Academia de Música e Ópera Nacional[190] e o Colégio Pedro II também foram fundados, o último servindo como modelo para escolas por todo o Brasil.[191] A Imperial Escola de Belas Artes, estabelecida por seu pai, recebeu maior apoio e fortalecimento.[192] Utilizando sua lista civil, Pedro II providenciou bolsas de estudo para brasileiros frequentarem universidades, escolas de arte e consevatórios musicais na Europa.[193][194] Ele também financiou a criação do Instituto Pasteur, assim como a casa de ópera Bayreuth Festspielhaus de Wagner, além de outros projetos semelhantes.[195] Seus esforços foram reconhecidos tanto em casa quanto no exterior. Charles Darwin falou dele: "O imperador faz tanto pela ciência, que todo sábio é obrigado a demonstrar a ele o mais completo respeito".[126][196]
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_..._ci%C3%AAncias

Información de tema

Usuarios viendo este tema

Actualmente hay 1 usuarios viendo este tema. (0 miembros y 1 visitantes)

Temas similares

  1. Si yo fuera Presidente...
    Por Qualin en el foro Política y Sociedad
    Respuestas: 53
    Último mensaje: 20/03/2015, 22:07
  2. Monarquía tradicional Vs. monarquía liberal
    Por Hyeronimus en el foro Política y Sociedad
    Respuestas: 0
    Último mensaje: 31/03/2012, 20:54
  3. Fuera de tema
    Por Rodrigo en el foro Tertúlia
    Respuestas: 17
    Último mensaje: 24/10/2010, 06:15
  4. Fuera De La Ley...
    Por Tradición. en el foro Noticias y Actualidad
    Respuestas: 0
    Último mensaje: 12/02/2007, 14:24

Permisos de publicación

  • No puedes crear nuevos temas
  • No puedes responder temas
  • No puedes subir archivos adjuntos
  • No puedes editar tus mensajes
  •