Búsqueda avanzada de temas en el foro

Resultados 1 al 5 de 5

Tema: Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil

  1. #1
    Avatar de Ordóñez
    Ordóñez está desconectado Puerto y Puerta D Yndias
    Fecha de ingreso
    14 mar, 05
    Ubicación
    España
    Edad
    38
    Mensajes
    10,255
    Post Thanks / Like

    Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil


    Estimado amigo, ¿ podrías hablarnos, aun a modo de síntesis, sobre este fenómeno tan desconocido quizá en España ? Gracias.

  2. #2
    Avatar de Erasmus
    Erasmus está desconectado Socio vitalicio
    Fecha de ingreso
    03 ene, 06
    Ubicación
    Buenos Aires
    Mensajes
    4,158
    Post Thanks / Like

    Re: Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil

    Mañana (acá todavía es jueves) voy a poner algo.

    Gracias por recordármelo. Saludos.



    Imperium Hispaniae

    "En el imperio se ofrece y se comparte cultura, conocimiento y espiritualidad. En el imperialismo solo sometimiento y dominio económico-militar. Defendemos el IMPERIO, nos alejamos de todos los IMPERIALISMOS."







  3. #3
    Avatar de Erasmus
    Erasmus está desconectado Socio vitalicio
    Fecha de ingreso
    03 ene, 06
    Ubicación
    Buenos Aires
    Mensajes
    4,158
    Post Thanks / Like

    Re: Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil

    MOTIVOS HISTÓRICOS PARA A AUTODETERMINAÇÃO

    O Rio Grande do Sul, um Estado-País inserido no "garrão" da Ibero-América (América do Sul), tem traços distintos quando comparados ao resto do Brasil. O Tratado de Tordesilhas, firmado em 7 de junho de 1494, no povoado de Tordesilhas entre Portugal e Espanha, sob a grande influência do papado da época , excomunga parte de Santa Catarina e todo o Rio Grande do Sul do Brasil.

    A Província de São Pedro do Rio Grande pertencia à coroa hispânica e, mesmo assim, os Bandeirantes residentes no Brasil investiram contra as pobres almas nativas, lhes arrancando do seio familiar os chefes de família , filhos maiores e às mulheres, que eram presas fáceis, deixaram os lusos (será que eram lusos?), uma grande desgraça: Doenças que dizimaram grande parte da população nativa do Sul.

    No ano de 1750 o Tratado de Madri, mais uma vez sob os auspícios interesses das duas coroas, a Nação sulista foi de forma selvagem expulsa de seu primoroso "habitat" construído nas Missões dos Sete Povos. Portugal e Espanha, assinam em 13 de janeiro de 1750, o "Tratado de Madri" que expulsou os nativos das Missões dos Sete Povos para a cidade castelhana de Colônia de Sacramento. Foram, com este tratado, os nativos transferidos sem que pudessem levar consigo o fruto de seu suor e trabalho, as colheitas, os animais, e outros pertences necessários para a sobrevivência.

    Foi nesta época que o herói nativo Sepé Tiarajú o grande corregedor da tribo Tupi-Guarani, tombou em favor de seu povo, quando levantou a voz contra as arbitrariedades impostas pelas coroas de além mar gritando:
    ESTA TERRA TEM DONO.

    O processo de perseguição continuou por parte dos supostos civilizados, investindo contra os nativos sulistas, e em outubro de 1777 firmou-se o Tratado de Santo Ildefonso, desfazendo o Tratado de Madri, que alguns historiadores contestam em sua autenticidade, devolvendo a Colônia de Sacramento e Missões dos Sete Povos aos Espanhóis em troca da Ilha de Santa Catarina (Florianópolis).

    Assim se sucedem os confrontos... o Rio Grande do Sul, transformado em palco de conflitos sempre foi uma província brasileira desrespeitada e desprestigiada, enquanto as demais províncias brasileiras repousavam em profunda paz.

    Com a Proclamação da Independência do Uruguai em 25 de Agosto de 1825, a Província Cisplatina é ferida, perdendo parte de seu território. Emcabeçada pelo Cel. Bento Gonçalves da Silva, Honofre Pires e Domingos Crescêncio, entre outros heróis gaúchos, iniciou em 20 de Setembro de 1835, a Revolução Farroupilha, com a tomada do Palácio Piratini, e a expulsão do então Presidente Provincial Fernandes Braga.
    Como ato contínuo e conseqüência o Cel. Antônio de Souza Neto, em 11 de Setembro de 1836, proclama a INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA RIO-GRANDENSE, no campo dos Meneses em Piratini, estabelecendo também ali a primeira capital do novo País.

    Até hoje a Bandeira oficial do Rio Grande do Sul mantém em seu escudo central a inscrição REPÚBLICA RIO-GRANDENSE.

    Em 1845, dia 28 de fevereiro, o traidor Farroupilha David Canabarro assina o tratado de Armistício, a Paz do Ponche Verde. Este tratado contudo, não desfaz o ato da Proclamação da Independência do Rio Grande do Sul, ao contrário, o mantém intacto.

    Neste período de 1835 a 1845, três países reconheceram a nova Nação Independente:

    URUGUAI: em seu segundo Mandato, Fructuoso Rivera declara guerra a todo e qualquer invasor da República Rio-Grandense, firmando o TRATADO DE CANGUE em 21 de Agosto de 1838.



    INGLATERRA: em 23 de Março de 1845 através do Tratado de Livre Comércio celebrado entre os dirigentes Farroupilhas e o então plenipotenciário Embaixador Hamilton, desde que o Rio Grande do Sul abrisse seus portos ao mercantilismo Saxônico, o que foi prontamente aceito.
    FRANÇA: em suas poucas aparições no ciclo Farroupilha levanta o mesmo reconhecimento em troca dos interesses portuários gaúchos.
    Hoje, o Rio Grande do Sul, seguido de Santa Catarina e Paraná, cansados pelas discriminações reinantes de Brasília, buscam a sua autodeterminação, sem com isto desconsiderar os ilustres habitantes das outras regiões do Brasil.

    O Rio Grande do Sul tem história para se manter no mesmo caminho do Uruguai, qual seja, da sua TOTAL E ABSOLUTA INDEPENDÊNCIA, aliás, independente já é, só se almeja restabelecer a antiga República Rio-Grandense... Nada Mais.

    O Povo será o protagonista deste episódio desde que não esteja aculturado:
    POVO QUE NÃO TEM VIRTUDE,
    ACABA POR SER ESCRAVO.

    (declaración del M.I.P.)

    Nótese el comentario irónico sobre los bandeirantes: "será que eram lusos?", es bien sabido que el marranismo era frecuente entre esos tipos.



    Imperium Hispaniae

    "En el imperio se ofrece y se comparte cultura, conocimiento y espiritualidad. En el imperialismo solo sometimiento y dominio económico-militar. Defendemos el IMPERIO, nos alejamos de todos los IMPERIALISMOS."







  4. #4
    Avatar de cruz_y_fierro
    cruz_y_fierro está desconectado Miembro graduado
    Fecha de ingreso
    12 oct, 05
    Ubicación
    Ilustre y fiel Ciudad de la Santisima Trinidad en el Puerto de Santa Maria de los Buenos Ayres
    Edad
    45
    Mensajes
    217
    Post Thanks / Like

    Re: Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil

    Cita Iniciado por adolpo-o
    [...]
    Nótese el comentario irónico sobre los bandeirantes: "será que eram lusos?", es bien sabido que el marranismo era frecuente entre esos tipos.
    Al menos nunca se comportaron como cristianos en sus frecuentisimos ataques a las reducciones jesuiticas en busca de esclavos, asesinando a diestra y siniestra hombres, mujeres, ninios y sacerdotes. (Pasa que los indios civilizados por los jesuitas eran muy apetecidos como esclavos domesticos en San Pablo.)

  5. #5
    Tonyjeff está desconectado Miembro novel
    Fecha de ingreso
    20 abr, 07
    Mensajes
    1
    Post Thanks / Like

    Re: Para adolpo-o; sobre el Sulismo en el Brasil

    Libros antiguos y de colección en IberLibro
    Nunca li tanta bobagem quanto nessa mensagem sobre o "sulismo" no Brasil. Como pode dizer que a República Rio-Grandense ainda existe? Quando se deram as últimas eleições para presidente nacional piratinense? Onde está o Exército nacional piratinense? Quando se deu o último acordo bilateral entre essa República e outro país?

    Esse Tatado de Cangue só aparece em livros de sulistas extremistas. O presidente uruguaio não poderia tê-lo ratificado em 1835 porque seu segundo mandato começou em 1839.

    Sobre o tal Tratado Comercial inglês, e o reconhecimento francês, onde estão essas fontes?? Em qual planeta você vive, sr. Adolpo-o? Esse fenômeno é tão desconhecido pelos espanhóis porque simplesmente não existe!

    E outra: se a região Sul foi tão disputada, sendo objeto de tantos tratados ao longo da história do Brasil, não foi por desrespeito ou desprestígio, mas justamente o oposto: foi sempre alvo dos interesses nacionais, sendo de suma importância antes para Portugal e depois para o Brasil.

Información de tema

Usuarios viendo este tema

Actualmente hay 1 usuarios viendo este tema. (0 miembros y 1 visitantes)

Temas similares

  1. El liberalismo es pecado
    Por Ordóñez en el foro Política y Sociedad
    Respuestas: 35
    Último mensaje: 30/06/2019, 00:30
  2. Hernán Cortés; Conquistador de la Nueva España
    Por Ordóñez en el foro Hispanoamérica
    Respuestas: 201
    Último mensaje: 04/04/2019, 21:27
  3. Respuestas: 41
    Último mensaje: 17/01/2017, 19:56
  4. Apuntes Socieconómicos Hispanoamérica XVIII
    Por Ordóñez en el foro Hispanoamérica
    Respuestas: 4
    Último mensaje: 27/05/2011, 21:25
  5. Del Sudoeste Español a la Conquista de los Andes
    Por Ordóñez en el foro Hispanoamérica
    Respuestas: 2
    Último mensaje: 22/11/2009, 01:12

Permisos de publicación

  • No puedes crear nuevos temas
  • No puedes responder temas
  • No puedes subir archivos adjuntos
  • No puedes editar tus mensajes
  •